A palestra da pastora Damares Alves, advogada, assessora jurídica da Frente Parlamentar Evangélica e professora, traz um alerta sobre os rumos políticos do Brasil e o papel da igreja contemporânea.

Realizada na Primeira Igreja Batista de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, a palestra fala sobre os rumos dados pelo governo federal à educação infantil na área sexual e sobre uso de entorpecentes, além do projeto de aprovação do aborto.

Damares faz uma crítica à postura adotada pela maioria dos líderes evangélicos, dizendo que por se manter no conforto dos templos, a igreja se tornou alienada dos rumos que a sociedade está tomando.

“Deus está chamando a igreja evangélica brasileira para um novo momento, um novo instante, e grandes desafios nos esperam […] Os desafios são de salvar essa nação do que está acontecendo”, alertou a pastora, que complementou: “Estão detonando as nossas crianças”.


Sobre pornografia e homossexualidade, Damares Alves disse que o Ministério da Educação tem divulgado nos últimos anos, materiais que fazem apologia à pornografia, à prática sexual e homossexual, e apresentou exemplares de cartilhas que são apresentadas às crianças.

“Aí vem o governo brasileiro com verba pública, do seu bolso, e faz um material desses distribui um material desses nas escolas públicas. E o que a gente faz? Nada. Sabe por quê? Porque estamos ocupados. A Igreja está muito ocupada. Estamos ocupados em ganhar dinheiro, ocupados com as nossas profissões, e não estamos antenados com o que está acontecendo. Mas Deus está dizendo à igreja evangélica brasileira: abre o olho […] É hora de a gente se levantar como igreja”, disse, em tom de convocação.

Os materiais, que contém instruções sobre como usar drogas, segundo Damares, foram distribuídos sob o argumento de que seria menos prejudicial se o consumo fosse orientado: “Os deputados evangélicos, que estão lá na Câmara tentando fazer uma diferença, e que estão sendo chamados de homofóbicos, fundamentalistas, que estão sendo perseguidos foram questionar […] e os especialistas disseram ‘as crianças já estão usando, então temos que ensinar usar de uma forma melhor para que não contraiam outros tipos de doença’”.

Damares Alves diz, em sua palestra, que os argumentos usados pelo governo para buscar a aprovação da descriminalização do aborto são baseados em “mentiras”, e que as informações apresentadas não são precisas: “Eles manipulam dados, manipulam estatísticas, para impor na sociedade brasileira uma cultura de morte”, disse, antes de complementar: “Matar bebês no ventre da mãe é covardia, assassinato, além de ser pecado”.

A pastora Damares Alves disse ainda que o governo tem financiado iniciativas que zombam da fé cristã, e citou o exemplo de um artista plástico que recebeu verba para financiar uma performance em que um dos símbolos cristãos era ridicularizado.

“Estão zombando dos cristãos no Brasil […] A igreja evangélica vai ter que dizer isso: nos respeitem, nós não somos um ‘zé povinho’, não somos um povo qualquer, nós somos uma geração eleita, o povo de Deus”, disse.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXAR UMA RESPOSTA