No programa Caixa de Música, Carine Luup interpreta “Ainda sou o Mesmo”.

Ainda Sou o Mesmo

Tudo que Eu criei foi pra você,
O vento que Eu soprei fez você viver;
E um dia contemplando o que Eu construí,
Eu planejei fazer você feliz!

Mesmo assim, o que aconteceu?
Você não me conhece, ou se esqueceu;
E agora então o vejo tão longe de Mim,
Mas sei que vou fazer você feliz!
Eu não mudei,

Ainda sou o mesmo,
Meus braços ainda estão abertos,
Minhas mãos estão feridas,
Eu não mudei, ainda sou o mesmo,
Tão cheio de amor
Volte pra mim porque Eu não mudei.

Toda vez que olho pra você
Percebo a obra prima que Eu criei,
E vejo cada traço que um dia desenhei.
Eu quero ver você viver feliz!

Eu não mudei
Ainda sou o mesmo,
Meus braços inda estão abertos,
Minhas mãos estão feridas,
Eu não mudei, ainda sou o mesmo,
Tão cheio de amor
Volte pra mim porque

Eu não mudei, ainda sou o mesmo
Meus braços inda estão abertos
Minhas mãos estão feridas
Eu não mudei, ainda sou o mesmo
Tão cheio de amor
Volte pra mim porque eu não mudei

Volte pra mim, Eu não mudei
Ainda Sou o mesmo, Volte pra mim.
Eu não mudei, Ainda Sou o mesmo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXAR UMA RESPOSTA